Notícias

TÍTULO SECUNDÁRIO

Se Rasgum anuncia Boogarins (GO) e Maglore (BA) na Festa de Abertura do 14º festival

Postado em 05 de setembro de 2019 por Gustavo em Musica

A banda Maglore (BA) se apresenta dia 04/10 em evento que já tinha Boogarins (GO) confirmada. Próximas datas da produtora contemplam anúncios de novas atrações, detalhes sobre Seletivas, oficinas e rodas de conversa. Ingressos já estão à venda no Sympla.

A festa de abertura do Festival Se Rasgum ganhou mais um nome de peso. Trata-se da banda Maglore (BA), que traz a Belém no dia 04/10 um repertório com sucessos dos 10 anos de carreira e completa a noite que também terá o show de lançamento do último disco do Boogarins (GO), “Sombrou Dúvida”. O evento acontece no Espaço Náutico Marine Clube (Av. Bernardo Sayão, 5232 – ao lado do portão 1 da UFPA), local que receberá o 14º Festival Se Rasgum entre os dias 01 e 03/11. Ingressos podem ser adquiridos no https://linktr.ee/serasgum.

Além de Boogarins e Maglore, a noite de Abertura ainda terá a 5ª colocada entre as bandas participantes das Seletivas Se Rasgum e DJs especiais tocando muita música paraense e brasileira com a proposta de fazer um grande esquenta para o Festival – que em 2019 acontece com patrocínio de Natura Musical e Oi. Para Felipe Dieder, baixista do Maglore, a sensação de se apresentar na Abertura do Se Rasgum é ótima.

“O Se Rasgum é um festival que admiramos bastante, um dos marcos no circuito de música independente. Os Boogarins são uns queridos que conhecemos faz tempo, uma pena não nos encontrarmos mais vezes na estrada. A energia desses encontros é sempre massa. Vai ser uma noite linda”, comenta.

Ele também explica como deve ser a apresentação da banda baiana. “Faremos nesse show um apanhado dos dez anos de Maglore, tocando músicas dos quatro discos e seguindo a linha do registro ao vivo que lançamos há alguns meses, gravado no Cine Joia (SP). O foco maior é no disco mais recente de estúdio, ‘Todas as Bandeiras’, mas vamos tocar de tudo um pouco”, promete.

O artista ainda lembra da primeira vez que tocou no Se Rasgum. “Foi na edição 2017 do festival, encerrando uma das noites com o Cidadão Instigado. A resposta do público foi surreal. Era um desejo antigo nosso tocar em Belém e o público cantou tudo com a gente. Saímos de alma lavada e, desde então, existia a vontade de retornar. Acho que a distância geográfica faz com que cada apresentação tenha uma energia especial, além da representatividade da Região Norte pro restante do país. Nos identificamos muito com isso”, diz.