Sonido - Música Instrumental e Experimental

O Festival Sonido - Música Instrumental e Experimental é um projeto musical e visual desenvolvido pela Se Rasgum Produções com o objetivo de promover o encontro de diversos artistas e bandas expoentes da música instrumental, na vertente de projetos experimentais. O festival surgiu em 2015, realizado no Mercado de carnes Francisco Bolonha, prédio com arquitetura europeia de ferro que faz parte do Complexo Ver-o-Peso, no centro comercial de Belém.

Trazendo para a capital paraense grandes nomes da música experimental nacional, como Guizado e Hurtmold, e promovendo encontros da música paraense como Strobo e Márcio Jadim, A Trip do Forget Someone e Scarabajo e o show inédico de Sebastião Tapajós e Manoel Cordeiro, ápice de uma das três noites de evento. Além de música, o Sonido também promoveu um show de luzes, com iluminação e video mapping especiais que valorizam a arquitetura do mercado, sob a direção da conceituada artista visual paraense Roberta Carvalho. 

 

REVISTA SELETA

A Revista Seleta é um guia da música paraense que recorre às suas raízes e à música contemporânea e dá continuidade ao objetivo de expandir a cultura paraense através de feiras de música, festivais e encontros relacionados ao mercado cultural. Bilíngue, a Revista Seleta vem em português e inglês percorrer o mundo, mostrando a nova e a tradicional música paraense, produzida na Região Amazônica.
  
A Seleta tem uma proposta contínua, trazendo reportagens de jornalistas experientes, artigos produzidos por personalidades de renome no cenário nacional, um CD-coletânea encartado contendo músicas de 16 artistas e uma ampla variedade de imagens para consolidar, além-fronteira, a música produzida no Pará. 

Semana de Profissionalização - Belém e inteior

A semana de profissionalização da música tem o objetivo de formar e profissionalizar o setor musical no estado trabalhando os elementos técnicos, políticos, sociais, artísticos e de mercado para promover uma série de capacitações que se conectem de  forma consistente  nessa nova perspectiva da economia da cultura.
 

Com o objetivo de criar uma rede de agentes para troca de informação e também criar oportunidades de trabalho para esses profissionais, o projeto tem uma programação de workshops, oficinas, mesas de debate e palestras sobre o mercado da música com renomados profissionais para buscar a consolidação de processos que possam causar impactos positivos nos âmbitos social, cultural e econômico e que proporcionem um ambiente adequado para ampliar a visão de mundo entre o mercado jovem e todos os outros participantes, a partir da troca de experiências e da apropriação dos meios de produção que, consequentemente, gerem sustentabilidade.

 

 

SE RASGUM APRESENTA

O Se Rasgum Apresenta é um evento que coloca artistas paraenses com artistas de outras regiões fazendo show juntos, formando público, proporcionando novas parcerias e incentivando a cena paraense. O evento é a continuidade que o cenário precisa para que esteja ativo, produzindo e se renovando durante o ano inteiro.

 

O projeto tem entrada a preços populares com a legítima intenção de divulgar a música paraense e de formar público. Nas últimas edições, o projeto contou com artistas como os novaiorquinos Nada Surf, a pernambucana Karina Buhr, a cantora Tulipa Ruiz e a banda de metal Krisiun .

Seletivas Se Rasgum

A “Seletivas Se Rasgum” é mais uma iniciativa para dar oportunidade as bandas locais de tocarem junto a grandes nomes da nova música brasileira e de atrações internacionais, além de poderem apresentar seu trabalho para importantes nomes da imprensa brasileira.

A cada edição do Festival Se Rasgum fica mais evidente a existência de uma pulsação artística autoral na música do interior do estado, tanto nas inscrições para a seleção de bandas locais para o festival quanto na procura de artistas de outras cidades.

Além de incentivar o crescimento profissional e provocar uma saudável disputa musical, as Seletivas Se Rasgum leva a capital e ao interior a atmosfera artística que o evento proporciona, em que grupos competem amigavelmente e tem a oportunidade de se apresentar com tratamento profissional de som, iluminação, assistência de palco, backstage e produção.


A idéia é não apenas recompensar o esforço das bandas que trabalham duro para estarem no mercado e no próprio festival para terem seu trabalho reconhecido pelo público e pela imprensa especializada (local e nacional), mas também reforçar um ideal inerente ao evento, que é o de contribuir para a profissionalização da música autoral paraense incentivando o surgimento de novos artistas de forma democrática e participativa.

<< Voltar