15 de junho, 2016 - 00h00

NÃO TEREMOS SONIDO EM 2016

GERAL > jun 2016

E 2016 segue seu rumo. É com muito pesar que a Se Rasgum Produções anuncia que este ano não teremos a continuidade do Festival Sonido - Música Instrumental & Experimental, que estreou ano passado (exatamente um ano atrás) em Belém, no Mercado de Carnes Francisco Bolonha. O motivo é apenas um: falta de patrocínio.

Com sua primeira edição patrocinada pelo Banpará em 2015, o Sonido (que proporciona 100% de isenção de IR via Lei Rounaet por ser artigo 18, de música instrumental) trouxe três dias de programação cultural gratuita em um dos cartões postais da cidade, mas não pareceu ser interessante para o banco em uma segunda edição.

Bem, a boa notícia é que para os fãs de Wesley Safadão, Aviões do Forró, Bell Marques, Jorge & Mateus etc., a programação da Diwali em Salinas, no mês de julho, está top! E com patrocínio do Banpará, entre outros. Ah, só um detalhe: infelizmente a programação promovida por eles não é gratuita. Os ingressos estão à venda, mas se correr logo ainda dá pra pegar um camarote para 15 pessoas por R$ 8.000. A pista premium custa R$ 170, a VIP R$ 150. Nos finais de semana "normais" está mais em conta: 100/70 reais.

É claro que não entraremos agora na questão – sempre relativa – do que é boa música ou não. No entanto, toda empresa/instituição/órgão público tem suas diretrizes e missões. A da Se Rasgum sempre foi trabalhar em cima de projetos culturais, com preços acessíveis, programação aberta ao público, artistas que não estão necessariamente na crista da onda e fomentar um mercado de música autoral independente, junto ao público e artistas do segmento.

Lamentamos muito que não tenhamos conseguido realizar a segunda edição do Sonido, mas pode ter certeza de que não desistiremos desse projeto que nos deu muito orgulho, levou música e arte para as pessoas e colocou mais de 40 músicos no palco, além de gerar diversas fontes de renda direta e indireta no Ver-o-Peso.

E o que esperar daqui pra frente? Bem, agora é esperar que bons ventos impulsionem vários projetos culturais legais e importantes, e que tragam de volta editais, recursos, iluminem de boas ideias a cabeça de gestores e empresários e que faça com que boas iniciativas para o âmbito cultural no Pará também ganhem impulso, destacando não somente projetos comerciais e de entretenimento, mas a arte que se destaca Brasil e mundo afora como uma das mais originais do País.

- - - - - - - - - - 

Relembre como foi o festival ano passado


<< Voltar