15 de dezembro, 2014 - 00h00 - porKarina Menezes

Baile Tropical traz Zebrabeat de volta à Belém

FESTIVAL > dez 2014

Depois de 66 edições de muita fuleiragem, o Baile Tropical está de volta! A festa, que acontece nesta sexta (19), traz a Zebrabeat Afro-Amazônia Orquestra diretamente de São Paulo. Com participação especial do guitarreiro Félix Robatto, a banda promete colocar todos os corpos calientes para dançar. O plus da programação fica por conta dos DJs Waldo Squash, Bernardo Pinheiro e Damasound, que agitam o inferninho tropical no Chevallier, a partir das 22h.

Longe de capital paraense há um ano, a Zebrabeat é uma banda que está em constante estado de mutação. Isso porque ela vive transitando entre cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, o que pede pequenas adaptações na sonoridade ou mesmo na formação do grupo. “Se for no Rio, fazemos (o show) com uma parte da equipe de São Paulo e outra parte do Rio, que é a metaleira da banda carioca Abayomi Afrobeat”, diz Júnior Gurgel, um dos idealizadores do Zebrabeat e o único integrante fixo, que assume a bateria nas apresentações. Aqui em Belém, a formação será a mesma que gravou o primeiro disco da banda no ano passado – Dan Bordallo (teclado), Alexandre Pinheiro (sax), JP (percussão), André Macleuri (guitarra) e Príamo Brandão (grooves).

Júnior Gurgel fala que a pecualiridade de cada músico é fundamental para a cara que o Zebrabeat assume nas cidades por onde passa. Em Belém, a pegada acaba sendo mais quente, uma mistura do afrobeat, ritmo africano criado por Fela Kuti, com carimbó e guitarrada, ritmos paraenses que têm forte influência dos sons caribenhos. Em São Paulo, a onda é mais urbana, por mais que as raízes regionais permaneçam fortes. No Rio, a banda adota o lado da funk/soul music. Depois de tantas viagens e intercâmbios musicais, impossível que não houvesse mudança alguma na sonoridade da Zebrabeat. “Por ter músicos de vários cantos do Brasil, eles acabam inserindo cada um a influência da música da sua região”, diz Gurgel.

Nascido com uma grande ajuda do músico Léo Chermont, o Zebrabeat tem dedicado seu tempo para a circulação de seu primeiro álbum. O grupo tem engatilhadas novas composições e se prepara para abrir 2015 com show no Circo Voador (RJ), junto a Juçara Marçal e Icolini. Então, se preparem -  vai rolar muita cumbia, lambada e afrobeat no Baile Tropical. Os ingressos estão à venda na loja Ná Figueredo da Gentil por R$15, mas só o primeiro lote. No segundo lote os ingressos custarão R$20. Pra quem só tiver tempo de comprar no dia, os ingressos custarão R$25 até meia-noite e R$30 após esse horário. 

DJs - A festa, criada em 2010 pelos DJs Patrick Torquato e Bernardo Pinheiro, segue com vida própria percorrendo diversas cidades no Brasil e América Latina com Patrick, e em Belém com Bernardo. A festa de sexta-feira tem o DJ Waldo Squash como convidado, responsável pelos beats alucinantes da Gang do Eletro, e de Damasound, que tocou em todas as edições do Baile Tropical em Belém. No som, ritmos feitos especialmente para dançar, como cumbia digital, salsa, afrobeat, soul, samba rock, dub, funk e muita música brasileira.

Escute AQUI a Zebrabeat. 

BAILE TROPICAL # 67


Local: Chevalier (Travessa 28 de Setembro 1160 – ao lado do Templários)
Data: 19 de dezembro de 2014. A partir das 22h.
Show: Zebrabeat (c/ participação de Félix Robatto)
DJs: Waldo Squash (Gang do Eletro), Bernardo Pinheiro (Baile Tropical) e Damasound (Se Rasgum)

Ingressos (à venda na loja Ná Figueredo):


1º Lote (limitado): R$ 15,00
2º Lote (limitado): R$ 20,00
Até meia-noite R$ 25,00
Após meia-noite R$ 30,00


<< Voltar