28 de novembro, 2014 - 00h00 - porKarina Menezes

Projeto presenteia Batista Campos com música

GERAL > nov 2014

      Alguns instrumentos musicais e uma caixa de som. Não foi preciso muito mais que isso para que o projeto Samaúma Musical se instalasse ali, em um dos coretos da Praça Batista Campos, fazendo a alegria das pessoas que frequentam o local aos domingos. Idealizado pelos músicos Kareca Braga e Zé Luiz Maneschy, o projeto faz o que, muito se discute, precisa ser feito – se apropria do espaço público como forma de compartilhar cultura. E gratuitamente. 

       Kareca Braga não lembra exatamente qual foi o primeiro dia do projeto, e diz que as pessoas que frequentam a praça ainda não estão acostumadas com este tipo de iniciativa, apesar do Samaúma já ter um ano de vida completo. “Mas todos gostam e parabenizam”, fala. O Samaúma veio da vontade que ele e Zé Luiz tinham de fazer um som ao ar livre, por isso o primeiro passo foi ir às ruas e achar o lugar ideal. A Praça Batista Campos foi escolhida não só pela beleza, mas por não ter muita poluição sonora – nela, escolheram um coreto específico, que fica próximo da Igreja de Santo Antônio, pelo fluxo constante de pessoas por ali.

          O projeto integra não só os músicos como o próprio público ao ambiente da praça. Aliás, o público é bem diversificado - de mendigos a catadores de lixo, de jovens e idosos, todos têm uma oportunidade democrática de usufruir dos ritmos do Samaúma Musical. “A cultura, as artes e a educação são bens sociais, por isso precisam estar disponíveis para as pessoas, e a melhor maneira de fazer isso é levar esses bens para onde elas estão”, fala Kareca. Além dessa preocupação,  ele e Maneschy ainda seguiram todas as formalidades legais para conseguir a liberação do coreto. Os dois buscam sempre o equilíbrio do ambiente, procurando não contribuir com a pouca poluição sonora já existente no local.

        O Samaúma Musical já teve convidados ilustres, entre contrabaixistas, flautistas, saxofonistas. E o projeto ainda tem a força de várias mãos amigas, seja para comparecer aos domingos, incentivar a continuidade dos shows, fotografar ou ajudar na divulgação. Daqui pra frente, existem várias ideias de expansão do evento. “já tivemos manhãs com música e poesia, e estamos pensando em agregar fotografia (foto-varal)”, diz Kareca. Já houve também a vontade transformar as apresentações em apresentações itinerantes, “mas é uma ideia que precisa ser amadurecida e que precisa de parceiros”, completa o músico.

         Para quem quiser dar uma conferida no Samaúma Musical e, quem sabe, se inspirar para espalhar mais iniciativas assim por Belém, os shows acontecem todos os domingos na Praça Batista Campos, às 10h, no coreto em frente à Igreja de Santo Antônio, na Rua dos Tamoios.

 


<< Voltar